quarta-feira, 25 de junho de 2014


ESTRADA SEM VOLTA  -  PARTE II

Amanhece e o sol lhe oferece sua luz
com a mesma intensidade dos primeiros dias,
Por essa luz não lhe cobra nem um breve sorriso,
Então você sente, da natureza, sua energia,
separando o inferno do paraíso,
recebendo a luz que lhe alivia.
Você precisa continuar caminhando,
o tempo cura qualquer ferida.
É preciso continuar sonhando,
Pois são os sonhos que alimentam a vida.

Jorge Floriano.

sexta-feira, 30 de maio de 2014


ESTRADA SEM VOLTA  -  PARTE I

Você caminha nesta estrada sem volta
onde  são raras as flores
e são tantos os espinhos.
Na sua bagagem pesa a revolta
de batalhas terminadas em dores
deixando um vazio no caminho.
A tristeza começa agir
com outros sentimentos medonhos
abrindo, na alma, uma grande ferida,
Então você pensa em desistir
dos seus sonhos
de sua vida.


Jorge Floriano.

quarta-feira, 30 de abril de 2014


NESTA TERRA O MAL SE LEVANTA

Nesta terra o mal se levanta,
mentes  insensatas,
ninho de serpentes...
A voz de um ser ecoa em treze gargantas,
derrubando matas,
soterrando nascentes...

Terra de um amanhecer tão triste,
hostilizada pelos que abusam do poder.
Nesta terra a justiça já não existe,
fruto que a corrupção fez apodrecer.

Nesta terra chegam forasteiros
trazendo lixo em suas mentes,
atuando nos reais pesadelos,
mostrando como agem os dementes.

Nesta terra o mal se levanta,
ninho de serpentes,
mentes insensatas,
soterrando nascentes,
derrubando matas.


Jorge Floriano.

sexta-feira, 28 de março de 2014


SENHORES DO PODER

Eis os senhores do poder
sentados à mesa com a senhora injustiça,
servindo-se da pútrida ganância
que cega
que fere
que mata...

O senhor e sua corja
juntos, na festa do cifrão,
de braços e abraços com a corrupção
que cega
que fere
que mata.


Jorge Floriano

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014


CUSPARADA  DA INSENSATEZ

A alma cansada e ferida
rasteja na lama provocada pela cusparada da insensatez,
Já não consegue olhar pela fresta da vida
embaçada pela camada espessa da sordidez.
Rasteja a alma
que duvida da doçura do mel,
Rasteja a alma
que conhece e acredita no fel.


Jorge Floriano

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014


VELHO MENINO

O velho menino vem
com seus passos longos e ligeiros
balançando com o nobre vento,
O velho menino vem
marcando as faces dos passageiros
sem exceção e sem julgamento.

O velho menino vem
rasgando  as vestes da existência
deixando-a totalmente nua,
O velho menino vem
mascando a decadência
e cuspindo a verdade crua.

Jorge Floriano.                                    

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013


HIPOCRISIA NATALINA

Fantasias envolvendo capitalismo,
Luxo nos corredores da miséria,
Os olhos do mendigo no palhaço Noel,
Reis e rainhas em palácios iluminados,
Inexistente sentimento solidário,
Anos e anos de hipocrisia,
Natal! Lembra-se de tantas coisas...
O aniversariante raramente é lembrado.

Jorge Floriano.